AnimeTopic 009 – Re:Zero


  Oi, geeks! Hoje trarei para vocês uma crítica sobre o anime Re:Zero Kara Hajimeru Isekai Seikatsu. Ele foi dirigido por Masaharu Watanabe no estúdio White Fox. O anime conta com uma temporada de 25 episódios e tem até o Re:Zero Director’s Cut, que é uma versão atualizada.
  O protagonista, Subaru Natsuki, é um jovem comum que é convocado em um novo mundo. Porém, ele estava perdido nesse outro mundo e acaba fazendo amizade com uma meia-elfa que se apresenta como Satella. Satella tinha um
companheiro chamado Pack, que é um espírito em forma de gato e acaba esbarrando em Subaru por acaso, enquanto procurava seu amuleto que foi roubado por uma ladra chamada Felt. Nisso, Subaru se junta a ela para ajudá-la a encontrar Felt e recuperar o item roubado e quando encontram o esconderijo, Subaru diz para Satella ficar do lado de fora enquanto ele entrava para tentar negociar. Quando ele entra, logo vê que Felt e o gigante dono do esconderijo estão mortos e acaba vendo a assassina, Elsa, que logo o ataca. Após ouvir um barulho de dentro do esconderijo, Satella entra e acaba sendo ferida fatalmente assim como Subaru. Nisso, temos a primeira reviravolta surpreendente do anime! 
  Quando Subaru perde a consciência, já nos é mostrado ele acordado de novo no ponto inicial do anime e revivendo o mesmo dia. Logo ele descobre que possui o “retorno através da morte”, o que faz com que ele possa voltar no tempo e mudar o que acontece. 
 Particularmente, pensei logo “Não, é impossível que o protagonista morra no primeiro episódio”, então eu já esperava que Subaru fosse salvo, mas o que me surpreendeu foi o modo como foi feito. Eu imaginava que alguém apareceria e os salvariam daquela situação, mas jamais esperaria que Subaru realmente morreria e descobrisse tal habilidade, que por sinal, é uma faca de dois gumes. Mas continuando… Quando Subaru volta ao ponto de início, ele percebe que ninguém o reconhece, ou seja, só ele sabe que retornou, então ele decide que tem que salvar aquela garota a qualquer custo. Então ele refaz seus passos até o momento em que a encontra, porém, quando a chama por seu nome, ela logo o repreende na frente de todos por ele a chamar pelo nome da bruxa da inveja e nesse momento de distração, Felt rouba seu amuleto e ela o culpa por distraí-la e acha que Subaru estava tramando com a ladra. Então, nossos heróis são separamos um do outro, mas Subaru não desiste e vai ao esconderijo sozinho.
  Outra reviravolta não é? Quem diria que a garota mentiria seu nome para nosso protagonista e justamente com o nome de uma bruxa detestada por todos da cidade. Apesar de tudo, eu diria que todos os personagens dessa trama tem uma personalidade diferente e única. Mas, focando em nossos heróis, tranquilizo vocês ao dizer que eles não só conseguem recuperar o amuleto mas também são salvos da morte, e Subaru finalmente descobre o verdadeiro nome da nossa heroína, que ao invés de Satella, é Emília e ele desenvolve um interesse amoroso pela mesma. Subaru é um jovem bastante resiliente, esforçado e extremamente apaixonado por Emília. Já Emília é uma pessoa mais serena e calma e apesar de gostar de Subaru, ela ainda não está apaixonada por nosso protagonista. Durante todo o anime nós podemos ver os maus bocados que ele passa para tentar conquistá-la e ajudá-la, sendo até mesmo egoísta em alguns momentos. Mas Emília reconhece sua força e sempre o ajuda quando pode. Além disso, Emília é uma candidata à rainha, ou seja, sua posição sempre está em jogo já que é uma pessoa importante, mas é uma jovem que sofre extremo preconceito por ser uma meia-elfa de cabelos prateados assim como a bruxa da inveja, Satella, a quem se nomeou no início da trama. 
  Quando Subaru passa a morar na mansão de Rosswaal, que é o apoiador de Emília ao trono, local onde Emília também vive, conhecemos outras duas personagens que são de extrema importância na trama, as gêmeas Ram, Rem e Beatrice. Beatrice é a guardiã da biblioteca proibida da mansão, além disso, é um espírito, ou seja, é muito sábia e poderosa e mesmo não tendo tanto destaque, nós podemos ver o grande valor que a personagem tem. Já as gêmeas, Ram é muito educada mas as vezes um pouco fria e dura, já Rem é mais amigável. Elas são demônios, mas, por serem irmãs foram muito julgadas, já que o normal é ter dois chifres e por serem gêmeas cada uma nasceu com um. Diferente de Rem, Ram não possui um chifre pois ele foi cortado enquanto ainda era criança por ela ter salvo sua irmã, e por isso ela não pode usar seus poderes como antes. Até hoje, Rem se culpa por ter sido a “causa” de Ram perder seu chifre, já que a irmã era a mais habilidosa.

  Re:Zero me fez ter uma explosão de emoções. Eu ri, me emocionei, fiquei tensa e sorri no mesmo ritmo que os personagens. É um anime que me tocou muito e que me deixou com um gosto de “quero mais” enorme! Eu o compararia com as estações, porque literalmente é um anime de fases! Temos momentos frios como o inverno, calorosos com o verão, belos como a primavera e calmos como o outono. Tenho certeza que se você começar a assistir, não vai querer parar até o final, pois é daquele tipo de anime que te prende até o fim e a trama é bem detalhada e mesmo tendo tantos personagens sendo retratados ao mesmo tempo ela não se perde em momento nenhum. Não quero aprofundar a crítica para não falar mais da história, para que quem quiser assistir tenha a mesma emoção que eu tive quando o vi, então, eu sugiro muito que prestem atenção aos detalhes pois eles serão muito importantes na história.
  Com isso, para encerrar, quero dizer que apesar de Subaru se mostrar apaixonado por Emília desde o começo da história, teremos também um triângulo amoroso que vai deixar vocês de ponta cabeça sem saber por quem torcer! E quero destacar também que Subaru pode ser muito mais do que aparenta, pois acredito que ele não tenha sido invocado por acaso e que não aja coincidências sem sentidos, mas isso deixaremos para descobrir mais durante a segunda temporada, que infelizmente foi adiada por conta do corona vírus, mas que sim, existirá! 

Vitto

Após fracassar em conseguir uma armadura de bronze, decidiu escrever sobre cultura japonesa. De vez em quando sai algo bacana. Já te disse que tenho um blog?