AnimeTopic 033 | Grancrest Senki

AnimeTopic 033 | Grancrest Senki

Em um mundo dominados pelo caos, um jovem andarilho se propõe a tomar as rédeas do destino e mudar o rumo de uma guerra que não parece muito bem saber de onde veio e muito menos para onde vai, mas que está criando cada vez mais caos. Guiado por uma uma jovem maga chamada Silluca, ela e Theo estão dispostos a enfrentar exércitos inteiros para restaurar a paz no mundo. A convicção de nosso protagonista será o suficiente para conseguir tal feito? Melhor ainda, os roteiristas sabem o que estão fazendo aqui?

Bom, alguns animes de fantasia tem um certo problema de se ater apenas a fantasia em si, o que acaba gerando personagens menos críveis e um roteiro não tão coeso. Nesse caso acabamos não vendo nem uma coisa nem outra, porque além do roteiro ser uma bagunça, o mundo fantástico da obra parece ser incrível, mas não chega a ser explorado então ficamos só no quase. O conceito por trás da obra é até que bem feito, embora não seja algo tão original e inovador, é importante destacar que ele trouxe boas ideias e discussões a tona. 

Pra ser sincero, a execução do enredo é muito mal feita. As coisas são muito corridas, onde nós vemos num primeiro episódio o Theo deixando de ser um andarilho qualquer, e já destruindo um monstro, ganhando um emblema e virando um nobre, conquistando um castelo. Assim, muito acelerado e sem uma motivação aparente, as coisas simplesmente acontecem e nós como espectadores apenas temos que aceitar isso. O pouco de motivação que os personagens apresentam aparece somente quando envolve o conflito central da trama, com o casamento interrompido pelo ataque do Caos. Tirando isso, todo o resto perde demais o peso que poderia ter para a obra, justamente pela quantidade de acontecimentos que o anime simplesmente joga na sua cara, e é triste isso, um potencial jogado fora.

Assim como em Kimi no na wa, um romance acontece porque… porque sim né.

No meio disso tudo, temos sim bons personagens mas que esbarram nesse mesmo aspecto negativo. O Theo possui nobres motivações para aquele mundo, ele é o diferencial que faz com que o ambiente ao seu redor mude por sua causa, mas o anime só lembra de ao menos tentar contar o porque dele ser assim lá pra frente, do meio pro final da obra, como se em algum momento o autor tivesse lembrado que precisava fazer isso e fez de qualquer jeito. A Silluca é uma das várias personagens mal construídas na história. Ela só escolhe o Theo para liderar uma grande revolução e é isso, ela viu algo diferente nele?

Temos também os problemas de relacionamento com o pai dela, mas o que de fato aconteceu? Porque além de que muito do que sabemos dela é apenas falado e não mostrado, o que é um erro, a relação com o pai não chega nem a ser explicada de verdade, só entendemos que ele é um cara severo que devia ter protegido a filha em uma situação no passado mas não fez, e fica só por isso mesmo, como em várias outras situações durante a história, as coisas acontecem sem nenhum motivo aparente e nós temos que aceitar.

Acho que tirando o casal principal, o restante age de forma completamente aleatória, ao bel prazer do autor para forçar a história a andar. o Milza é mau porque sim, apenas por poder; As gêmeas lobisomem apenas aparecem para perder a mãe e depois ficarem de plano de fundo nas batalhas, as vezes servindo também como um certo alívio cômico; o Assassino Silencioso da Silluca está lá para parecer foda, fazer poses fodas e ser mostrado como um grande aliado, e só isso, ele vem do nada e não contribui em nada; A sacerdotisa surge como um conflito entre a religião e a magia, algo que seria interessante ser desenvolvido em paralelo com o enredo principal, mas assim como todo o resto, é ignorado e relembrado quando o autor acha conveniente, então a função dela é curar e, bom, morrer. Os personagens são tão marcantes que eu não lembrava o nome de nenhum além do casal principal e do Milza, de tanta informação.

A arte é outro problema. Apesar de termos uma boa animação regular durante toda a obra, não é algo que fez com que o anime fosse marcante, foi apenas mais uma animação genérica de temporada. Acho que o único momento que me deu uma esperança de ter algo diferente foi na luta final entre Theo e o Milza, onde tivemos algo mais próximo a um estilo de mangá em si, que fica mais fluído durante a luta e tudo mais, até que no meio da luta temos um corte para a Silluca com aquele traço genérico de novo, então é mais um potencial jogado fora. E claro, como não podia faltar, mais próximo do final começamos a ver a queda da qualidade visual da obra, talvez pelo grande volume de trabalho do estúdio durante a temporada, nos brindando com essa excelente cena nos episódios finais:

Talvez a única coisa que se salve seja a trilha sonora, agradável do começo ao fim, sabendo encaixar bem os grandes momentos da obra com as músicas escolhidas, melhorando bastante as sequências de ação, os momentos de tensão ou até mesmo as cenas mais suaves e românticas, e até épicas. Uma pena que o resto não cooperou né.

Mas essa, é claro, é a minha opinião, então deixem nos comentários as suas opiniões sobre Grancrest Senki, é curtinho até, vinte e quatro episódios disponíveis aqui na Crunchyroll. Concordam comigo, acham que estou sendo muito rigoroso com um anime de temporada? Quero ouvir o que vocês tem a dizer (ou ler, e consequentemente escrever. Ah, vocês entenderam!)
Até semana que vem!

Vitto

Após fracassar em conseguir uma armadura de bronze, decidiu escrever sobre cultura japonesa. De vez em quando sai algo bacana. Já te disse que tenho um blog?